[f i l m e s d o c h i c o]

31 de dez de 2004

Frankie: Ano 12 - Frankie 2004

Décima segunda edição do meu prêmiozinho pessoal de melhores do ano. Como eu espero ver alguns filmes antes do prazo final para votar no Alfred, não digo que esta será minha lista para o prêmio da liga, mas deve ser a base. Além disso, o que vale aqui é o que eu vi este ano no cinema e no Alfred valem as estréias oficiais. Os vencedores estão indicados.



filme do ano

1 *** Elefante, de Gus Van Sant
2 O Prisioneiro da Grade de Ferro, de Paulo Sacramento
3 Homem-Aranha 2, de Sam Raimi
4 Kill Bill: Vol. 1, de Quentin Tarantino
5 O Pântano, de Lucrecia Martel

O melhor filme do ano é a maior obra-prima dos últimos tempos. Em Elefante, Gus Van Sant elabora, a partir de um colóquio com adolescentes comuns, um microtratado sobre a diluição da verdade. Abordando um tema onde a prática é apontar culpados, Van Sant se esquiva de ser definitivo e defende a complementaridade de qualquer questão. Mais que isso, transporta para a forma de seu longa suas idéias, definidas com a ajuda de entrevistas com seu elenco. Um filme para se guardar.

direção

1 *** Gus Van Sant, por Elefante
2 Júlio Bressane, por Filme de Amor
3 Lucrecia Martel, por O Pântano
4 Quentin Tarantino, por Kill Bill: Vol. 1
5 Sam Raimi, por Homem-Aranha 2

ator

1 Daniel de Oliveira, por Cazuza - O Tempo Não Pára
2 Jack Black, por Escola de Rock
3 Paul Giamatti, por Anti-Herói Americano
4 Ron Perlman, por Hellboy
5 *** Sean Penn, por 21 Gramas

O grande ator que é Sean Penn se revela totalmente em 21 Gramas. Cheio de imperfeições, o filme é sustentado por três grandes interpretações, dentre as quais a de Penn é, não somente a melhor, como pode ser considerada uma performance máxima em sua carreira. Pouco afeito a maniqueísmos, Sean Penn doma um personagem complexo como um animal selvagem. E o enche de doçura e vigor.

atriz

1 Charlotte Rampling, por Swimming Pool
2 Kate Winslet, por Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças
3 *** Mirella Pascual, por Whisky
4 Nicole Kidman, por Dogville
5 Uma Thurman, por Kill Bill: Vol. 1

Se Whisky é uma das pérolas do ano, Mirella Pascual é responsável por oitenta por cento de seu brilho. A performance quieta da atriz no filme uruguaio é discreta e encantadora.

roteiro original

1 Charlie Kaufman, por Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças
2 Gonzalo Delgado, Juan Pablo Rebella e Pablo Stoll, por Whisky
3 *** Gus Van Sant, por Elefante
4 Lucrecia Martel, por O Pântano
5 Quentin Tarantino, por Kill Bill: Vol. 1

roteiro adaptado

1 *** Alvin Sargent, por Homem-Aranha 2
2 Guillermo del Toro, por Hellboy
3 Jeff Stockwell e Michael Petroni, por Meninos de Deus
4 Jeremy Leven, por Diário de uma Paixão
5 Peter Weir e John Collee, por Mestre dos Mares: o Lado Distante do Mundo

Homem-Aranha 2 é Homem-Aranha. É tomado pelo espírito do personagem criado por Stan Lee e Steven Dikto. Com uma habilidade monstruosa e uma fluidez impressionante, Sam Raimi consegue dar o tom perfeito à recriação de Peter Parker, Mary Jane Watson e Tia May para o cinema. A seqüência do metrô, sobretudo o final, com o herói desmacarado sendo salvo pelo povo, é a melhor cena do ano. É a essência do herói mais sui generis dos quadrinhos.

ator coadjuvante

1 Kieran Culkin, por Meninos de Deus
2 Mark Ruffalo, por Minha Vida Sem Mim
3 *** Paul Bettany, por Mestre dos Mares: o Lado Distante do Mundo
4 Rodrigo de la Serna, por Diários de Motocicleta
5 Seth Green, por Party Monster

Paul Bettany impressiona com seu talento quem não precisa gritar para chamar atenção. Em Mestre dos Mares, um filme essencialmente masculino, ele é quem introduz delicadeza e sensibilidade.

atriz coadjuvante

1 *** Chiaki Kuriyama, por Kill Bill: Vol. 1
2 Kirsten Dunst, por Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças
3 Luduvine Sagnier, por Swimming Pool
4 Rosemary Harris, por Homem-Aranha 2
5 Virginia Madsen, por Sideways

Quando Gogo entra em cena, quem vê Kill Bill: Vol. 1 está certo de que aquela garota é a versão em carne-e-osso do elo perdido entre os personagens de mangás e dos seriados televisivos japoneses. Chiaki Kariyama, em seu uniforme colegial, une inocência e safadeza como poucas.

elenco

1 *** Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças
2 Dogville
3 Escola de Rock
4 Lado Selvagem
5 Whisky

Jim Carrey controlado, sem excessos, desfigurado, anulado. Kate Winslet linda, colorida, inteligente, encantadora. Kirsten Dunst discreta, pequena, doce, escondida. E mais Mark Ruffalo, Tom Wilkinson e Elijah Wood. Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças é o grande elenco do ano.

filme brasileiro

1 Filme de Amor, de Júlio Bressane
2 Narradores de Javé, por Eliane Caffé
3 O Outro Lado da Rua, de Marcos Bernstein
4 *** O Prisioneiro da Grade de Ferro, de Paulo Sacramento
5 Redentor, de Cláudio Torres

filme de estréia

1 Madrugada dos Mortos, de Zack Snyder
2 Meninos de Deus, de Peter Care
3 *** O Pântano, de Lucrecia Martel
4 O Prisioneiro da Grade de Ferro, de Paulo Sacramento
5 O Retorno, de Andrey Zvyagintsev

fotografia

1 Eric Gautier, por Diários de Motocicleta
2 *** Harry Savides, por Elefante
3 Italo Petriccione, por Eu Não Tenho Medo
4 Robert Richardson, por Kill Bill: Vol. 1
5 Walter Carvalho, por Filme de Amor

montagem

1 *** Gus Van Sant, por Elefante
2 Sally Menke, por Kill Bill: Vol. 1
3 Stéphanie Mahet, por Lado Selvagem
4 Takeshi Kitano e Yoshinori Oota, por Zatoichi
5 Valdís Óskarsdóttir, por Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças

direção de arte

1 Ben van Os, por Moça com Brinco de Pérola
2 David Wasco e Yohei Taneda, por Kill Bill: Vol. 1
3 Dennis Gassner, por Peixe Grande
4 Kevin Conran, por Capitão Sky e o Mundo de Amanhã
5 *** Peter Grant, por Dogville

figurinos

1 Dien van Straalen, por Moça com Brinco de Pérola
2 Heatherette e Michael Wilkinson, por Party Monster
3 Manon Rasmussen, por Dogville
4 Sandy Powell, por Sylvia
5 *** Stella McCartney, por Capitão Sky e o Mundo de Amanhã

maquiagem

1 Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
2 *** Hellboy
3 Madrugada dos Mortos
4 Monster
5 Peixe Grande

música

1 Benoît Charest, por As Bicicletas de Belleville
2 Guilherme Bernstein Seixas, por O Outro Lado da Rua
3 James Newton Howard, por A Vila
4 John Powell, por A Supremacia Bourne
5 *** Keiichi Suzuki, por Zatoichi

disco

1 Escola de Rock
2 *** Kill Bill: Vol. 1
3 Kill Bill: Vol. 2
4 Meninos de Deus
5 Shrek 2

canção

1 "Belleville Rendez-Vous" (Mathieu Chedid), interpretada por ?, As Bicicletas de Belleville
2 "Extreme Ways" (Moby), interpretada por Moby, em A Supremacia Bourne
3 "Man of the Hour" (Eddie Veder), interpretada pelo Pearl Jam, em Peixe Grande
4 *** "School Of Rock" (Mike White e Sammy James, Jr.), interpretada pela School of Rock, em Escola de Rock
5 "You Will Be My Ain True Love" (Sting), interpretada por Alison Krauss, em Cold Mountain

sonoplastia

1 As Bicicletas de Belleville
2 Elefante
3 Kill Bill: Vol. 1
4 A Supremacia Bourne
5 *** Zatoichi

efeitos visuais

1 *** Capitão Sky e o Mundo de Amanhã
2 O Dia Depois de Amanhã
3 Hellboy
4 Homem-Aranha 2
5 Zatoichi

cena do ano

1 *** Aranha é carregado pelos passageiros do metrô, em Homem-Aranha 2
2 Internet + Beethoven, em Elefante
3 A Noiva x O Ren, em Kill Bill: Vol. 1
4 Elle Driver vestida de enfermeira, assoviando, em Kill Bill: Vol. 1
5 O vôo pela casa, em Filme de Amor

pior filme

1 *** Cama de Gato, de Alexandre Stockler
2 Encantadora de Baleias, de Niki Caro
3 Fahrenheit 11 de Setembro, de Michael Moore
4 Mulher-Gato, de Pitof
5 A Paixão de Cristo, de Mel Gibson

Ah, feliz ano novo pra todo mundo.

27 de dez de 2004

Natal, no Rio Grande do Norte.
Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul.
São Paulo, em São Paulo.
Sinop, no Mato Grosso.

Quatro cidades diferentes distantes milhares de quilômetros entre si.
Uma coisa em comum.

Em cada uma delas há pelo menos um integrantes da Liga dos Blogues Cinematográficos, que a partir de primeiro de janeiro começa a escolher os melhores do ano entre os filmes que estrearam nos cinemas do Brasil.

Vem aí...
Alfred 2004
o maior prêmio dos blogues de cinema do Brasil.

20 de dez de 2004

RANKING NOVEMBRO

Monstruosa. Somente assim pode ser designada a preguiça que me impede de atualizar este blogue. Mas, para que o mês de novembro não fique muito para trás, aqui está a lista dos melhores filmes do período segundo os dez votantes convocados desta vez. Os Irmãos Coen, com um filme de vinte anos de idade, e Eric Rohmer, com outro ainda mais antigo, derrubaram qualquer novidade que entrou em cartaz.

1 Gosto de Sangue - Versão dos Diretores (8,37)
(Blood Simple, EUA, 1984) Direção: Joel Coen.

2 A Carreira de Suzanne (8,16)
(La Carrière De Suzanne, França, 1963) Direção: Eric Rohmer.

3 Peões (7,83)
(idem, Brasil, 2004) Direção: Eduardo Coutinho.

4 Ouro Carmim (7,25)
(Talaye Sorkh, Irã, 2002) Direção: Jafar Panahi.

5 Entreatos (7,16)
(idem, Brasil, 2004) Direção: João Moreira Salles.

6 Whisky (7,00)
(Whisky, Uruguai/Argentina, 2003) Direção: Juan Pablo Rebella e Pablo Stoll.

7 Celular - Um Grito de Socorro (6,75)
(Cellular, EUA, 2004) Direção: David R. Ellis.

8 Spartan (6,66)
(Spartan, EUA, 2003) Direção: David Mamet.

9 Má Educação (6,37)
(La Mala Educacion, Espanha, 2004) Direção: Pedro Almodóvar.

10 Sob o Domínio do Mal (5,83)
(The Manchurian Candidate, EUA, 2004) Direção: Jonathan Demme.

11 O Expresso Polar (5,21)
12 Capitão Sky e o Mundo do Amanhã (5,20)
13 Nathalie X (5,00)
14 Os Esquecidos (4,70)
14 Contra Todos (4,70)
15 Nina (2,91)
16 As Branquelas (2,25)

Votaram neste mês:
Chico Fireman, Guilherme Martins, Guilherme Lamenha, Tiago Superoito, Diego Maia, Antonio Saints, Marcelo V., Ailton Monteiro, Peerre e Guga.

6 de dez de 2004

O DIA EM QUE ALMODÓVAR PERDEU O ESCRACHO

Sem ousadia e cheio de pudor, Má Educação é um filme que não cola



Pedro Almodóvar talvez seja o melhor exemplo de cineasta cuja linguagem evoluiu. A última década refinou seu apuro estético e seus filmes se tornaram cada vez mais densos sem perder a característica mais fascinante de seu cinema: o escracho. Carne Trêmula (97), Tudo Sobre Minha Mãe (99) e Fale com Ela (02), embora eu goste mais do primeiro, seguiam um crescendo na direção que impressionava pelo rigor e pela maleabilidade. É por isso que Má Educação, o último filme do espanhol, é mais decepcionante do que propriamente ruim. É um filme que não se cumpre, um filme frouxo.

Almodóvar namora o projeto há muitos anos e guarda um carinho especial por uma história que é muito próxima da que viveu na época em que estudava num colégio interno. Um grau de envolvimento que pode ter se tornado prejudicial para o filme, fatal. É clara em todas as cenas e no desenvolvimento do longa a preocupação que o cineasta tem em não banalizar as discussões, em ser respeitoso com todos os personagens, em criar a sensação de incômodo necessário. Má Educação, então, vira um filme mastigado, fácil, sustentado numa estrutura de filme policial que nunca funciona muito bem.

Digna de nota mesmo é a coragem do mexicanozinho Gael García Bernal, que faz um filme em que seu personagem é sodomizado (tudo bem, é um filme de Pedro Almodóvar em que seu personagem é sodomizado), justamente no momento em que sua carreira internacional explode e ele chega a ser cotado para os prêmios do ano. Bernal, por sinal, está bem no papel (sobretudo quando faz Zahara), mas não há nada de espetacular em sua interpretação. Fele Martínez é fraco como o quê. Os atores ficam presos ao roteiro pouco ousado de Almodóvar. Roteiro que nunca acontece porque ele não sabe mais como ser irônico.

Por outro lado, Labirinto de Paixões, rodado há longínquos vinte e dois anos, segundo filme do diretor (segundo se a gente não considerar os filmes "não sérios" que ele fez antes), não tem pudores. Sem o peso de ser um grande mestre do cinema, Almodóvar se permitia completamente. Conta uma história absolutamente nonsense com um sarcasmo delicioso. Um filme livre de qualquer amarra com um elenco comandado pela maravilhosa Cecilia Roth, como uma ninfomaníaca que contracena com os personagens mais absurdos. O filme é da época em que o diretor não tinha vergonha de nada, nem de ser escatológico.

LABIRINTO DE PAIXÕES
Laberinto de Pasiones, Espanha, 1982.
Direção e Produção: Pedro Almodóvar.
Roteiro: Pedro Almodóvar e Terry Lennox.
Elenco: Cecilia Roth, Imanol Arias, Helga Liné, Marta Fernández Muro, Fernando Vivanco, Ofelia Angélica, Ángel Alcázar, Concha Grégori, Cristina Sánchez Pascual, Fany McNamara, Antonio Banderas, Luis Ciges, Agustín Almodóvar, María Elena Flores, Ana Trigo, Poch, Javier Pérez Grueso, Santiago Auserón, Paco Pérez Brián, José Carlos Quirós, Eva Siva, Eva Carrero, Pedro Almodóvar.
Fotografia: Ángel Luis Fernández. Montagem: José Salcedo. Direção de Arte: Pedro Almodóvar e Andrés Santana. Música: Pedro Almodóvar, Bernardo Bonezzi e Fany McNamara. Figurinos: Alfredo Caral e Marina Rodríguez.

MÁ EDUCAÇÃO
La Mala Education, Espanha, 2004.
Direção e Roteiro: Pedro Almodóvar.
Elenco: Gael García Bernal, Fele Martínez, Daniel Giménez Cacho, Lluís Homar, Javier Cámara, Petra Martínez, Nacho Pérez, Raúl García Forneiro, Francisco Boira, Juan Fernández, Alberto Ferreiro, Roberto Hoyas, Francisco Maestre, Leonor Watling.
Fotografia: José Luis Alcaine. Montagem: José Salcedo. Direção de Arte: Antxón Gómez. Música: Alberto Iglesisas. Figurinos: Paco Delgado e Jean-Paul Gaultier. Produção: Pedro Almodóvar e Agustín Almodóvar. Site Oficial: www.sonyclassics.com/badeducation..

rodapé:

Labirinto de Paixões foi assistido na agradabilíssima companhia de Ana Paul e Marcelo V., depois de uma frustrada tentativa de ver Peões, do Eduardo Coutinho, numa sessão que, além de ser a primeira exibição do filme em território nacional, ainda era de graça. Se paulistano já gosta de fila, imagina essa...

nas picapes: Carteiro de Favela, de Wado (com backing vocals da minha amiga fofa Jan, integrante da Liga dos Blogues Cinematográficos).


 
online